segunda-feira, 21 de junho de 2010

Concursos Regionais

Em tempos de concursos regionais nas 30 RT's, fica aqui a nossa lembrança.
Primeiramente, parabenizamos os nossos colegas de gestões regionais pelo trabalho realizado em cada uma das trinta querências desse nosso Rio Grande. São pessoas com garra e determinação como vocês que a sociedade precisa.
Aos que tiveram a coragem de colocar a cara a tapa no Entrevero Cultural de Peões e na Ciranda Cultural de Prendas, os nossos cumprimentos mais do que especiais, pois fizeram dos concursos, grandes espetáculos de conhecimento, doação, amizades e amor as tradições da bandeira tricolor que tremula no coração do povo do Rio Grande do Sul. Esperamos contar com cada um e cada uma (como diria nosso presidente) para realizarmos juntos o trabalho em prol do tradicionalismo gaúcho, assim como também nos deixamos a disposição para o que for ao nosso alcance.
Aos corajosos concorrentes, nosso voto de sucesso a todos vocês. Todos são vencedores e merecedores por estar onde estão, representando suas entidades no concurso regional. Sairão de vocês as futuras articulações do organismo chamado: TRADIÇÃO. Aos futuros regionais, desejamos de antemão sucesso nessa caminhada tão importante que é representar toda uma Região Tradicionalista. Aos Futuros concorrentes do estado, sei que é cedo, mas contamos com a participação de cada um de todas as categorias das 30 RT's. É difícil, mas não impossível com a ajuda de vocês. Aos que por vontade do destino não alcançarem seus objetivos, pedimos para que não desistam dos seus sonhos. O importante num sonho não é a realização, mas a coragem que se empenha em sonhá-lo e fazer de cada superação de limites e obstáculos, uma verdadeira vitória!
Fica assim nossos mais sinceros agradecimentos e votos de sucesso e união aos que deixam seus cargos regionais e aos que recebem essa importante missão!
Guilherme Nascimento Monte
Peão Destaque Campeiro do RS 2010/2011.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Com a palavra: Adriane, 1ª Prenda do RS

Passo Fundo, 17 de junho de 2010

Jovens do Rio Grande!

Irmanados, iniciamos uma caminhada onde daremos testemunho de fé e patriotismo à cultura rio-grandense. Creio que esta oportunidade, surja em nossas vidas, em um momento em que deveremos representar a autenticidade de Prendas e Peões e manifestar o anseio que temos em cumprir o objetivo de enaltecer o Movimento Tradicionalista Gaúcho e assim o Rio Grande do Sul, vivenciando a Carta de Princípios e os valores do gaúcho.
A partir de agora, estaremos unidos, tentando assim, contribuir para o desenvolvimento cultural de nossa terra e difundir nossa história e nossas tradições.
Amigos, é imensa a minha felicidade e satisfação de poder fazer parte deste grupo de jovens que ama as tradições do Rio Grande, tenho certeza, que unidos por um mesmo ideal, cumprindo com o nosso papel, atribuições e compromissos, contribuiremos com as futuras gerações e conseqüentemente com o futuro do Tradicionalismo Organizado.
Juventude tradicionalista, contamos com todos, para que quando findar esse mandato, consigamos concretizar nossos maiores objetivos, preservar a cultura rio-grandense e valorizar a criança e o jovem tradicionalista, dando-lhe cada vez mais, maiores oportunidades, para que se interessem mais pela busca de conhecimentos, da nossa história, geografia, nossa tradição, sobre o tradicionalismo e folclore do RS.
Exercemos uma função importante, por isso, queridos companheiros, devemos agir com muita simplicidade, humildade, cordialidade, atenção e carinho com todos e principalmente dedicação e amor pelo compromisso que temos com o Rio Grande.
Nos colocamos a disposição de todos aqueles que assim como nós, amam as tradições gaúchas e vivenciam o Rio Grande a todo instante.

Saudações Tradicionalistas
Adriane Rebechi Rodrigues
1ª Prenda do Rio Grande do Sul 2010/2011

sábado, 12 de junho de 2010

Isso é tradição

Por falta de informação muitos novatos no Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro acabam por deturpar usos e costumes tradicionais dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul. No entanto, aqueles que se propuseram a integrar o Movimento Tradicionalista Gaúcho Brasileiro organizado hão de estar conscientes de que Fazer Tradição é cultuar, cultivar, defender, zelar, corretamente divulgar e, principalmente, preservar o Patrimônio Cultural-regionalista Gaúcho Sul-rio-grandense, recebido pelo Estado Garrão-sul do Brasil, pelos Sul-rio-grandenses, pelo Brasil e todo o Povo Brasileiro. É preciso, portanto, que todos os integrantes do Tradicionalismo desenvolvam o necessário senso crítico no sentido de diferenciar o que é imposição comercial daquilo que consiste, verdadeiramente, como Tradição Gaúcha do Rio Grande do Sul. Com consciência tradicionalista qualquer indivíduo é capaz de identificar as incoerências regionalista-tradicionais gaúchas sul-rio-grandenses e as impropriedades tradicionalistas gaúchas brasileiras, verificadas no âmbito do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Brasil. No uso da Pilcha Gaúcha dos Campeiros do Rio Grande, por exemplo, fácil é ver-se aberrações como a dos lenços de pescoço e das camisas na cor preta, uma vez que esta não é da Tradição Gaúcha Sul-rio-grandense - a tradição regional dos interioranos do Estado Sulino, repassada de pai para filho, pelo tempo, de forma espontânea e contínua, - por ter sido usada aquela cor apenas para os casos de luto; a dos lenços de pescoço estampados, de cores diversas das previstas nas Diretrizes do Tradicionalismo para o Uso da Pilcha Gaúcha Sul-rio-grandense Masculina, virados para o lado, para trás, com as pontas escondidas por debaixo da camisa ou por fora do pescoço, vez que contrariam a História, os usos e os costumes tradicionais sul-rio-grandenses; a dos chapéus chaparral, com abas laterais viradas para cima, de couro, com copa alta ou no estilo "polícia-montada do Canadá"; a do uso das boinas coloridas, espanholas, italianas e de outras procedências, pois a boina tradicional dos gaúchos fronteiriços sul-brasileiros é a preta e de tamanho normal; a do uso de coberturas na cabeça no interior dos ambientes fechados, dentro dos salões de baile e outros recintos cobertos, ato este que contraria a antiga e tradicional convenção social dos campeiros sul-rio-grandenses, os quais, por tradição e educação, sempre descobriram a cabeça em ambientes cobertos, além de não haver razão alguma para que um peão gaúcho venha a manter a sua cabeça coberta debaixo de um teto, por não haver ali nem sereno nem chuva nem sol; a das cintas ou "rastras" platinas, em vez da guaiaca sul-rio-grandense, o cinturão típico e tradicional do Rio Grande do Sul; a das calças demasiadamente estreitas, já que o vocábulo bombacha, etimologicamente, significa calça larga, sendo esta a peça da indumentária gaúcha tradicional oriunda do Núcleo da Formação Gaúcha Sul-rio-grandense, a região do Pampa Sul-rio-grandense, de onde formou-se toda a Tradição dos Gaúchos Campeiros do Rio Grande do Sul, não devendo ser, portanto, modificada por qualquer tipo de modismo comercial ofensivo à autenticidade da Cultura Regionalista-tradicional dos Gaúchos Sul-brasileiros; a do uso de bombachas importadas, uma vez que o Tradicionalista Gaúcho é preservacionista, conservadorista da Cultura Regional, Tradicional e Nativa do Estado do Rio Grande do Sul; a aberração das túnicas militares com a bombacha; das camisas pretas ou em cores berrantes, fortes, como o vermelhão, o verdão, o azulão, o amarelão e outras, por vezes combinando com a saia ou o vestido da prenda, pois a Tradição Gaúcha a ser cultuada no MTG Brasileiro é a originária do Pampa do Rio Grande do Sul, formada pelos habitantes do interior sul-rio-grandense, onde estes, tradicionalmente, por comedidos e recatados, nunca usaram as cores fortes, preferindo as mais claras e sóbrias, como bem demonstram todos os estudos folclóricos e os registros histórico-literários brasileiros; a das pilchas com as cores de bandeiras; a dos barbicachos em plástico brilhante ou correntes metálicas; a dos tiradores com pinturas e penduricalhos; das botas brancas ou de coloridos diversos das convencionais pretas, beges e marrons; das camisas fulgurantes, brilhosas, de cetim, de mangas fofas ou com gola de padre; das bombachas coloridas ou plissadas; dos conjuntos pretos (zorro); das faixas uruguaias, argentinas, paraguaias ou chilenas, uma vez que no Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro visa-se a conservação e a preservação daquilo que é próprio do Rio Grande, não do uso e dos costumes dos países vizinhos; das camisetas ou das camisas com as mangas arregaçadas; das alpargatas, da faca à cintura, em bailes, eventos sociais ou solenidades tradicionalistas; dos casacos, dos jalecos ou das blusas tipo-campeira, com adornos de favos-de-mel ao longo das mangas; e, dos procederes nada tradicionalistas de se dançar maxixe, tchê music, forró ou qualquer outro ritmo que não tenha o compasso da música regionalista-tradicional gaúcha do Rio Grande do Sul, no interior dos Centros de Tradições Gaúchas - CTGS - e demais Entidades Tradicionalistas filiadas ao MTG Brasileiro. Essas e outras incoerências regionalista-tradicionais sul-rio-grandenses e impropriedades tradicionalistas brasileiras é de serem consideradas como verdadeiros atentados cometidos contra a Cultura Regionalista-tradicional do Povo Gaúcho Brasileiro, como um grave crime de lesa-cultura gaúcha sul-rio-grandense. Aberrações culturais, regionais, tradicionais, como essas, não devem ser praticadas no âmbito do Tradicionalismo Gaúcho organizado, pois estão elas a contrariar todos os Estatutos, os Regulamentos, a Filosofia de Atuação, a própria Carta de Princípios desse MTG Brasileiro, cuja filosofia serve de base para todos os seus fins institucionais, culturais e tradicionalistas, de preservação das autênticas Tradições dos Gaúchos Campeiros do Sul do Brasil!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Palestras no CTG Erva Mate

Ocorreu no dia 05 de Junho no CTG Erva Mate, na cidade de Venâncio Aires, o "I Seminário de Prendas e Peões do CTG Erva Mate: Obstáculos de Um Sonho".
Entre os palestrantes, estava Guilherme Nascimento Monte, Peão destq. Campeiro do RS com a palestra: "Superando limites na busca de um sonho" durante o período da manhã.
Já no turno da tarde, foi a vez de Douglas Diehl Dias, Guri destq. Artístico-Cultural do RS, palestrar sobre a arte da declamação.
Este evento foi voltado para as prendas e peões da entidade e ao público externo, para motivar que estes participem dos concursos de prenda e peão da entidade, região e estado.

Prendas e Peões do RS 2010/2011

Já era sem tempo de colocarmos os nomes dos novos representantes do nosso estado durante o mandato 2010/2011, eleitos de 22 a 24 de Abril em Tramandaí (Peões e Guris) e de 27 a 29 de Maio em Santa Maria (Prendas).

Os Peões e Guris:


As Prendas:

Buenas Gauchada

"Eu sou escravo das patas do meu cavalo
Onde elas batem, também bate o meu destino."
Túlio Urach

Pra quem ainda não me conhece, sou o Guilherme Nascimento Monte, Peão destaque campeiro do Rio Grande do Sul 2010/11.
Com a responsabilidade do cargo, veio também a responsabilidade de gerenciar o Blog das Prendas e Peões do Estado do RS.
Farei o possível para deixar o blog atualizado, pois acredito ser o meio mais fácil de comunicação entre nós e o público externo.
Qualquer sugestão de postagem podem mandar para o meu email que é o mesmo do msn: guin_monte@hotmail.com .

Um grande abraço a todos que visitam nosso espaço e acreditam no nosso trabalho.
Guilherme Monte